Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

Astronauta na Areia

Deixe um comentário
Astronauta na Areia

Querido leitor, que seu dia seja consciente. Hoje vamos refletir sobre a sombra.

Inspirado no desenho encaminhado a mim pelo colega de trabalho, Charles Martins, hoje vamos refletir sobre a sombra. Para vocês que me acompanham aqui no site, o desenho está ao lado, já quem me acompanha pela rádio e jornal, fica a sagrada capacidade da imaginação como aliada, além da dependência da minha sensibilidade na comunicação.

O desenho em preto e branco é simples, muito simples. Parece que não está fácil ser simples nos dias de hoje, não e mesmo?

Visualizou? No primeiro plano aparece uma criancinha do sexo masculino com o pé direito no chão e o joelho esquerdo ao lado do pé direito. Nas duas mãos, o cabo de uma pá.

Atrás do menino, um “bolo” de areia feito a partir do baldinho de plástico. Bem próximo, o quebrar da última onda do mar e uma estrela do mar, que mais parece outro molde.
Até aqui estamos juntos? Imaginou o desenho? Espero que sim.

Continuamos então focados no desenho. Como vimos, o menino está no primeiro plano e é destacado em duas cores, a preta e a branca. Como se fosse a sua projeção, algo atrás do menino que está de costas, aparece uma sombra.

Mas, ao contrário da sua projeção de menino, encontramos a de um astronauta. Encontramos a pá nesta sombra, só que se trata de um indivíduo adulto. Está com roupas especiais, tubo de oxigênio as costas e dá para ver claramente que tem uma roupa especial. É um astronauta.

Se eu entendi bem, este desenho quer sugerir que o menino está ali, à beira mar, mas provavelmente sua imaginação, sua criatividade o leva literalmente à lua, às estrelas. Brincando ludicamente do seu jeito na areia em um dia de férias, pode estar nascendo ali um cientista, um estudioso dos astros e por que não, um astronauta?

A sombra, neste caso, é a luz. A luz do presente pode estar projetando uma sombra futura. Aqui vale uma reflexão: se o hoje pode estar projetando o amanhã, será que o futuro, então, também já não é o hoje?

Esta simples imagem, enviada despretensiosamente pelo colega de trabalho, nos faz refletir sobremaneira do que é presente e do que é passado. E fundamentalmente sobre a importância de nós adultos facilitarmos o acesso de nossas crianças ao mundo da imaginação. Mais do que facilitarmos, incentivarmos para que elas, mesmo brincando a beira mar, possam se sentir transportadas a serem profissionais, trabalhadores, construtores desse planeta, dessa sociedade que tanto carece de imaginação criativa. No dizer de Peter Drucker: “a melhor forma de prever o futuro é criá-lo”.

É assim como o mundo me parece hoje. E você, já desejou ser astronauta, ou foi piloto?
________________________________________________
Artigo veiculado na Rádio Som Maior FM no dia 29/10/2012 e no Jornal A Tribuna no dia 30/10/2012.

Voltar para Café com Mistura

2 Comentários para "Astronauta na Areia"

  • Mhanoe Mendes - 31/10/2012

    Salve Jorge.

    Li o texto e o seu comentário: bravo! Os dois muito bons.

    Sim, tanto pode ser o futuro quanto pode ser o passado, afinal de contas eles não existem, o que existe, diz a física quantica, é só o presente, não é mesmo.

    Parabens.

    Mhanoel Mendes

  • jorge - 29/10/2012

    o desenho pode ser visto por outro angulo,de não ser o futuro da criança,mas o astronauta recordando seu passado,de quando usava a pá para brincar na areia e a vida na terra éra maravilhosa,agora usa a pá colhendo amostra de solos em outros planetas, à procura de um lugar para dar continuidade a raça humana. "'a melhor forma de preservar é cuidar'.

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...