Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

Caçador de Mim

Deixe um comentário
Caçador de Mim

Queridos leitores. Que vocês estejam bem. Hoje vamos nos ater a uma música de Milton Nascimento, refiro-me a “Caçador de Mim”, cujo nome do álbum leva o mesmo que a música e é datado de 1981. Cantor, violonista e compositor, Milton Nascimento nasceu no Rio de Janeiro em 26 de outubro de 1942. Mineiro de coração, tornou-se conhecido nacionalmente quando a canção "Travessia", composta por ele e Fernando Brant, ocupou a segunda posição no Festival Internacional da Canção, de 1967.

Feitas estas indispensáveis apresentações vamos, então, ao nosso artigo propriamente dito. E o faço, atentando-me à Filosofia Clínica. De acordo com esta é possível ressaltar na música Caçador de Mim, pelo menos cinco tópicos da Estrutura de Pensamento. Falo dos tópicos Um - Como o Mudo me Parece, Dois - O que Acho de Mim Mesmo, Quatro – Emoções, Onze – Buscas, Doze - Paixões Dominantes e Dezessete - Armadilhas Conceituais.

“Por tanto amor, por tanta emoção”, canta a música, denunciando aqui a forte influência do tópico emoções. Vamos a frase completa da música desde o início: “Por tanto amor, por tanta emoção, a vida me fez assim. Doce ou atroz, manso ou feroz, eu caçador de mim”. Perceba que para ele o mundo tem grande influência no que vive, porque segundo ele a vida o fez assim.

A segunda estrofe não é diferente e ficam evidenciadas as paixões dominantes pela música, e que possivelmente tornou-se numa armadilha conceitual. “Preso a canções, entregue a paixões, que nunca tiveram fim”. A partir daqui surge a busca: “Abrir o peito a força, numa procura”.

Já o que ele acha de si mesmo permeia todo o texto, desde quando diz: “A vida me fez assim”, até quando diz: “Eu, caçador de mim”. Durante toda a música Milton se apresenta de diversas formas a partir do mundo que o fez assim.

A última, de quatro estrofes, desta linda canção, diz: “Longe se vai, sonhando demais, mas onde se chega assim?”. E finaliza na mesma busca emocionante que iniciou: “Vou descobrir o que me faz sentir, Eu caçador de mim”.

É assim como o mundo é para Milton Nascimento nesta canção, “Caçador de Mim”. E para você, como é a canção da sua vida?

Beto Colombo

Voltar para Café com Mistura

1 Comentários para "Caçador de Mim"

  • Ivanete de March - 24/08/2012

    Olá a todos!! Olá especialmente a você Beto Colombo!! Que não conheço, mas o admiro pela sua forma de pensar e expressar, através desses artigos, elaborando diversos temas, dos quais fazem-nos refletir e obter o gosto pela boa leitura, do que provem todo bom conhecimento, aprendizado e quiçá, a boa prática.
    Ainda que por severa, a vida seja nos dias atuais, nos proporcionam um reencontro do que ainda há...de bom, bonito e agradável. Sim! Essa seria a palavra resumida: Agradável! É agradável ler-los ou ouvi-los, mediante a tantas coisas desagradáveis que acontecem. Nesta busca que parece não cansar as pessoas, e até onde elas vão. Perdem-se conceitos primordiais de boa conduta, de "visão", ao que é bom, sincero e tudo que se "faz" para sermos melhores. E isso tudo atribuo a esses dias corridos que desorbitamente "vive-se". Onde as pessoas "condicionadas" a viverem desse modo, o TER é mais importante do que SER. E daí vem todo um desfeche disfuncional: emocional, espiritual, físico...por fim, como diz a música, Eu, caçador de mim.

    Ps. A música da minha vida é "Brincar de Viver"
    O..B..R..I..G..A..D..O!
    Iva

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...