Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

Confiar em processos ou em pessoas?

Deixe um comentário

No Caminho de Santiago de Compostela vemos, em muitas igrejas, bancas de livros e uma caixa de papelão com os dizeres: pegas o que necessitas e pague aqui. Isso mesmo, você compra os livros e outros artigos, ou até comida, e deixa o dinheiro numa caixa de papelão e não tem ninguém para conferir ou vigiar. Os padres e as freiras confiam nos peregrinos.

Lembro-me quando eu ia ao armazém do Seu Vitório fazer compras com a caderneta. Tanto a mãe confiava no seu Vitório, tanto este confiava em nossa família. Que legal!

Nos EUA e também em algumas cidades da Europa e da Ásia, não entendia aquelas caixas automáticas que vendem jornais. É só colocar uma moeda e a tampa se abre, você pega seu jornal e vai embora, e se você pegar mais que um não tem problema, porque não tem ninguém para vigiar ou conferir, eles confiam nos compradores, são países administrados confiando nos processos e as estatísticas mostram que funcionam.

Aqui no Brasil nossa cultura não é confiar em processo e sim em pessoas. Então ficamos dependentes de líderes bem intencionados para atribuirmos poderes e direitos e torcendo que eles utilizem com honestidade a chave da nossa casa, do nosso cofre.

Carlos Drummond de Andrade escreveu que “a confiança é um ato de fé, e esta dispensa raciocínio”. Se ele tiver razão, estamos em maus lençóis, pois nossos processos aqui não funcionam ou pouco funciona. Vou dar um exemplo do que estou falando: 

Na Finlândia existe uma sociedade que tudo parece funcionar, desde ruas limpas até os horários que são cumpridos a risca, e todo ou quase todos ficam tranquilos, pois sabem que o combinado vai ser cumprido. Eles confiam nos processos.

Verificada a história, descobrimos que a Finlândia, após a 2ª Guerra Mundial, ficou pressionada entre a Europa e a União Soviética. Os finlandeses escolheram o caminho do consenso, do equilíbrio, desde então foram governados por coalizões entre partidos de todos os credos políticos. As eleições são feitas sem mentiras, não distorcem verdades tentando quebrar a confiança no partido da oposição. E vice-versa. É comum ver governo, empresários e sindicatos conversando civilizadamente para buscar entendimento. A Finlândia é uma sociedade baseada na confiança, “eles confiam nos seus processos”, nas transparências das transações, nas leis, tratando todos com direitos e deveres por igual. 

Se confiar é uma questão de fé e dispensa raciocínio, será então que os finlandeses não raciocinam? É claro que raciocinam e raciocinam tanto que confiam primeiro nos processos e sabem que as leis naquele país são cumpridas, seja lá quem for o governante e os fora da lei são punidos. Será que na Finlândia também tem os do “dar um jeitinho”? Talvez sim, mas tenho certeza que lá essas pessoas são tratadas como exceção.

Confiar quer dizer FIAR – COM, isso mesmo, confiar nada mais é do que FIAR com agulhas COM outra pessoa. Pergunto então: 

Com qual desses candidatos que aí estão você (com) fiaria? Qual desses candidatos você daria a chave da sua casa, do seu cofre?  Pois é com-pa-nheiros se a resposta é a que imagino, então estamos em maus lençóis ou como se diz por aqui “ estamos ferrados” isto é, com as ferraduras nos pés, pra não dizer algo mais forte.

A boa notícia, a meu ver, é que já esteve pior e tomara que o que eu estou dizendo é impressão errada minha, que é só uma maneira errônea de ver esse processo. É assim que eu vejo as coisas, e com a idade, há quem diga que estou cada ano mais míope. E você, como vê todo esse processo?

Isso é assim para mim

Estamos juntos
Beto Colombo
_________________________________________________________________________________________________________
Artigo publicado no Jornal A Tribuna em 05/08/2010.

Voltar para artigos

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...