Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

Conhece-te a ti mesmo

Deixe um comentário

Segundo Platão, Sócrates teria tomado a inscrição “conhece-te a ti mesmo” da entrada do templo de Delfos como inspiração para construir sua filosofia.

O que Sócrates pregava era que nós devemos nos ocupar menos com coisas (riqueza, fama, poder, afazeres) e passarmos a nos ocupar com nós mesmos.

O importante para Sócrates é “conhecer a si mesmo” para saber modificar minha relação para comigo, com o outro e o planeta. Algumas pessoas funcionam assim...

Tem uma história que eu gosto muito, intitulada “O Tesouro de Bresa”. Essa história é sobre uma pessoa muito pobre que compra um livro com um segredo de um tesouro.

Para descobrir esse segredo e chegar até o tesouro, ele tem que decifrar todos os idiomas escritos no livro e então estuda e aprende cada língua estrangeira do livro e as oportunidades começam a aparecer e lentamente sua vida começa a melhorar.

Depois de estudar os idiomas, ele precisa decifrar cálculos matemáticos e continua estudando e se desenvolvendo e prospera ainda mais.

Para encurtar o relato, no final das contas não existe tesouro algum. Na busca do segredo do tesouro ele se desenvolve tanto que descobre ser ele próprio o tesouro.

No sábado, numa dessas lojas especializada em materiais voltados a caminhadas, encontrei dona Maria Conceição. Ela me contou que estava se preparando para fazer o caminho de Santiago de Compostela e me reconheceu pela leitura de nosso livro Compostela - Miuto Além do da Caminho de Santiago.

Dizia-me ela que nunca tirou um tempo para ela, que viveu mais de 30 anos em função dos filhos e do marido e que em função da morte do marido e inspirada no livro resolveu se conhecer. Fez um curso de espanhol e no domingo dia 25 de julho, dia de São Tiago partiria para as terras galegas na expectativa do “conhece-te a ti mesmo”.

Algumas pessoas passam a vida conhecendo melhor marido, filho, amigo, amiga e não se conhece. Algumas pessoas, quando caem numa armadilha existencial, às vezes têm dificuldades de se libertar por não conhecer seu acervo e qual das ferramentas deve ser utilizada nesses casos.

Que bom seria se cada um de nós fosse o seu próprio guru. Se cada um fosse seu terapeuta, se cada um de nós tirasse 30 dias como a dona Maria que resolveu tirar e ficar esse tempo com ela mesma como num ritual de passagem na busca do  auto conhecimento, ou na autotranscendência. Minha torcida é que na sua caminhada a grande descoberta é ser ela um grande tesouro como no tesouro de Bresa.

Isso é assim para mim!

Estamos juntos
Beto Colombo
______________________________________________________________________________________
Artigo publicado no Jornal A Tribuna em 29/07/2010.

Voltar para artigos

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...