Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

Meio Homem

Querido leitor, querida leitora, aceite o meu caloroso abraço. Hoje é 29 de julho, segunda-feira. Nesta data completo 50 anos.

Nossa! Como passou rápido. Parece que foi há pouco que corria descalço pelas ruas de pirita do bairro Rio Maina. Quando criança pensava que quem chegasse aos 35, 40 anos, já estava velho, agora olha eu aqui, completando 50, entrando na década do sexagenário. Que coisa!

Lembro-me também que entre nós, descendentes de italianos, sempre se falou que nos tornamos meio homem quando completamos 50 anos. Então, aqui estou eu, um cinquentão.

Engraçado que, para muitos homens, duas datas são destacadas: aos 18, a maioridade, e aos 50. Se, como dizem, a vida começa aos 40, aos 50 no dizer de Confúcio “já se sabe os preceitos do céu”.

Sou da geração que tomou ki-suco, cibalena, biotônico fontoura; que teve a cuba libre como primeira bebida alcoólica. Passava pomada Minâncora nas espinhas, jogava bilboquê ou biloquê, como se fala por aqui, soltava bombinha de quinhentos em época de festa junina. Que assistia na casa do vizinho o Perdidos no Espaço, Topo Gigio, e Vila Sésamo. Sabe quem é Ted Boy Marino, Repórter Esso, Odorico Paraguaçu. Que conhece compacto simples e duplo, que usou Bamba, Vulcabrás 752 e até japona. Que pegou carona de carriola, charrete, carro de boi, Vemaguet e Simca Chambord. Conheceu Aero Willys e Kharmann-Ghia. Lá em casa tínhamos caderneta no armazém e, bem mais tarde, televisão com seletor de canal rotativo.

Agora, explanando o pensamento completo de Confúcio, ele diz: “Aos 15 anos, orientei meu coração para aprender. Aos 30 eu plantei meus pés firmemente no chão. Aos 40 não mais sofria de perplexidades. Aos 50, eu sabia quais eram os preceitos do céu. Aos 60, eu ouvia com ouvido dócil. Aos 70, eu podia seguir as indicações do meu próprio coração, porque o que eu mais desejava não mais excedia as fronteiras da justiça”.

Aqui estou eu completando 50 anos. No dizer dos italianos, meio homem. O complemento da outra metade que, talvez, me faça um homem pleno já aos 50, foi o presente que recebi no dia 16 último, o nome de nono, de vovô, pois nasceu meu primeiro neto, o Theo.

Para mim, um inesquecível aniversário, um especial 50 anos.

Estou em paz, estou pleno e agradecido.
_____________________________________
Artigo veiculado na Rádio Som Maior FM no dia 29/07/2013

Voltar para Café com Mistura

6 Comentários para "Meio Homem"

  • Neusa Genovez - 29/07/2013

    Parabéns pelos seus 50 anos, Beto.
    Conheço poucas pessoas que ao completar 50 anos tem o aspecto físico e mental tão saudável como Voce. Dizem que uma mente ativa e jovem faz com que o espirito se eternize jovem por anos seguidos.
    Mas acredito que a felicidade mantenha eternamente este espirito.
    Que tu possas ter junto com tua Albani muitos outros momentos de grande alegria e realizações como a chegada de uma nova geração Colombo.
    Fiquei muito feliz com a noticia. E pedí a Deus por voces.

  • Sil Citadin - 29/07/2013

    Beto, um feliz e especial aniversário! seja sempre feliz no teu caminho! grande abraço

  • Márcia - 29/07/2013

    Que coisa boa poder ser um jovem de 50 anos, assim como você é !
    Parabéns! Você é uma pessoa especial !

  • Enir Antonio Carradore - 29/07/2013

    Beto, parabéns! Estás mais para o homem de 50 anos de "A República", de Platão.

  • ELISEU A OLIVEIRA - 29/07/2013

    Tenho o prazer de ler com certa frequência seus comentários e hoje tomei conhecimento de uma data especial: 50 anos.
    Meus parabéns pelos 50 anos, que Deus o abençoe muito e lhe dê sempre a paz, a plenitude e a gratidão do encerramento de seu post. E Parabéns pelo primeiro neto também. É tudo de bom.

  • Gilmar Cechet - 29/07/2013

    Beto, você não me conhece, mas acompanho suas ideais e filosofias, tenha certeza estais marcando sua época. Parabéns!

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...