Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

O Lobo do Homem

Deixe um comentário

Ouça o audio deste artigo

O Lobo do Homem

Querido leitor que você esteja em paz. Thomas Hobbs, filósofo inglês que viveu na idade média (1588-1679), populariza um dizer de Plauto (254-184) “Homo homini lúpus”. Traduzindo para o português, a frase quer dizer “o homem é o lobo do homem”.

De acordo com Hobbs, o egoísmo é o mais básico comportamento humano. Ele acreditava que o homem é por natureza mau e, se você lhe tirar seu espaço, ele se torna agressivo e cruel com seu semelhante. A solução para que essa maldade seja amenizada era que o homem deveria ser privado de certas liberdades. Essa era a única forma que Thomas Hobbs via de manter a ordem e a paz nos burgos, do contrário, será uma “guerra de todos contra todos”.

Para o filósofo inglês, os homens são perfeitamente iguais, desejam as mesmas coisas, têm as mesmas necessidades, o mesmo instinto de autopreservação. Por isso, em “Estado Natural” ele necessita do conflito e, dessa forma, surgem as revoltas e as guerras. As guerras existem, portanto, porque os homens querem as mesmas coisas, sustenta Hobbs. Como então manter a paz neste “estado natural” de guerra da espécie humana?

Para Thomas Hobbs, a solução é somente por intermédio de um pacto, de um contrato formal entre pessoas iguais que renunciam suas liberdades em troca de tranquilidade. É desse período que vem muitas de nossas convenções presentes em nossos dias atuais. Há os que acreditam e defendem esse ponto de vista filosófico e citam os pactos como as cartas magnas de cada país conhecidas por nós como Constituição. Aqui, cabe mais uma pergunta: o que seria de um país sem sua constituição?

Thomas Hobbs pertence ao período filosófico que denominamos de “contratualismo”, que é o período onde os filósofos acreditavam que a evolução do homem passa por um acordo coletivo. Portanto, só poderia se manter a paz e a evolução da espécie humana por intermédio de instrumentos contratuais.

Você já refletiu sobre essas questões anteriormente? Você concorda que o homem literalmente se mata para ter mais dinheiro, status, sucesso, poder, enfim, que o homem é o lobo do homem?
Jean Jacques Rousseau, ao contrário de Thomas Hobbs, com uma visão um pouco mais puritana e humanista, acreditava que “o homem é bom por natureza”, contudo é o convívio em sociedade que o corrompe.

Talvez não seja correto afirmar que nem o homem é o lobo do homem e nem o homem é bom por natureza. Antes disso, vem as características individuais, pessoais de cada indivíduo, não há uma regra geral. Para cada um é de um jeito. É a singularidade, algo singular em cada indivíduo que só a ele pertence, fruto de uma história vivida a partir da sua realidade.

Para nós, filósofos clínicos, a singularidade é a digital de cada pessoa, como a íris, ou seja, é única. E esse caráter único, autêntico, também pode se traduzir como sendo o seu sabor pessoal. Portanto, quando Hobbs diz ser o homem lobo do homem, ou seja, “mau por natureza” isso é assim para ele. Quando Rousseau diz que o homem é “bom por natureza” isso é assim para Rousseau. Portanto, quando alguém vir com receita pronta, ideias pré-concebidas onde abrange a coletividade, a humanidade, para mim, devemos primeiro saber que isso é a representação de mundo da pessoa que está falando, que está dizendo, e não uma verdade absoluta.

É assim como o mundo me parece hoje. E você, o que pensa sobre o homem ser o lobo do homem?

Beto Colombo

Voltar para Café com Mistura

5 Comentários para "O Lobo do Homem"

  • marina - 09/10/2014

    Ótimoo!! Parebénss, me ajudou muito (:

  • Jô Lopes - 24/05/2012

    É...cada pessoa vê o mundo,sente e pensa,conforme a sua subjetividade existencial.
    "O mundo como representação",segundo Schopenhauer.

  • Albertina Manenti Silvestrini - 24/05/2012

    Oi Beto que vc esteja em paz. Amo filosofia e sempre que posso leio alguma obra, pois gosto de fazer analogia em minhas palestras. A frase de Thomas Hobbes, " O Homem é o Lobo do Homem", Baseia-se na concepção de natureza humana, para ele o homem é mau por natureza. Mau é uma categoria pouco concreta, ligada a moral, porque eu posso ser bom numa sociedade e noutra ser mau depende das concepções. Hobbes considerava os humanos egoistas por natureza, ele não confiava no homem e defendia que o homem ,era inimigo do próprio homem. Talvez, por ele ter passado por tantas privações na sua vida contribuiram para leva-lo pensar assim. Em sua obra "O Leviatê", quando publicou sofreu muito pois lhe rendeu o ódio do clero francês, esplana muito bem a frase em questão .Recomendo pois é uma obra muito interessante.

    Abraços
    Estamos Juntos

    Albertina

  • Tiago Duminelli - 23/05/2012

    Boa noite, eu acredito plenamente que somos seres diferentes, onde alimentamos sim um lobo dentro de nós aquele que favorece o mal ou aquele que favorece o bem a de nós sabermos quem queremos alimentar. O homem tem as suas caracteristicas e aquele que apresenta uma ideia tera os seus aliados e os seus inimigos pois ao mesmo tempo que somos iguais, somos diferentes. Nemastê.

  • jorge - 23/05/2012

    Se uma pessoa pode definir o que é Certo ou Errado,isso à torna capaz de decidir em ser bom ou mau, e se seguirmos as leis de quem criou a natureza a primeira é ...Amar a Deus sobre todas as coisas...

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...