Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

Pensamos, logo existimos

Deixe um comentário

Ouça o audio deste artigo

Pensamos, logo existimos
Em uma reunião para escolha do profissional do ano, um dos diretores comentou que estava com dificuldade de indicar e votar em alguém porque ultimamente tinha a impressão que ninguém se destacava. Depois de conversarmos, chegamos a conclusão que na verdade era o contrário que estava acontecendo, ou seja, a maioria dos profissionais se destacava, por isso era difícil perceber o melhor. O nivelamento, neste caso, era por cima, não por baixo.
Ao refletir sobre isso, percebo que pessoas e empresas crescem muito mais rápido quando há trabalho em equipe, quando um profissional confia no outro e quando as ideias são compartilhadas para serem melhoradas. Os líderes que já descobriram isso e trabalham a melhor convivência, elogiando o coletivo com destaque às qualidades individuais, estão tendo uma colheita mais farta, resultados maiores.
O “penso, logo existo” de Renée Descartes, está se transformando na inteligência coletiva: no “pensamos, logo existimos”. Os profissionais preguiçosos, os mal-intencionados, começam a ser excluídos pelo próprio grupo, pela força do coletivo. Os empreendimentos estão sempre abertos para pessoas proativas, inovadoras, que vêem, sentem, observam, pensam e agem além.
Penso que as empresas devem se conscientizar de que só conseguirão se renovar e permanecer no mercado se investirem no desenvolvimento de suas equipes. A aprendizagem contínua não é mais uma opção, se tornou fator de sobrevivência.
Programas internos de estímulo a criatividade, responsabilidade e iniciativa podem trazer ótimos resultados para todos os envolvidos. As empresas, ao invés de terem somente seus líderes pensando, podem estimular todos os seus profissionais a pensarem. Liberdade de expressar suas ideias, de desenvolver projetos e trazer melhorias para a empresa, isso com certeza dá resultado.
Você já reparou que nesse novo tempo, até no esporte, como por exemplo, o vôlei e o futebol, os campeões são os que têm as melhores equipes e não o craque do momento?
É assim como o mundo me parece hoje. E você, o que pensa sobre isso?

Beto Colombo

 
Voltar para Café com Mistura

2 Comentários para "Pensamos, logo existimos"

  • adauton - 11/08/2011

    É verdade meu caro Beto.
    É assim que faço na minha empresa hoje sem uma boa EQUIPE não somos nada.
    Compartilhar tudo é necessario até os LUCROS.

  • Alexandre Cabreira - 11/08/2011

    Olá !

    Acabo de ouvir teu comentário na Som Maior sobre sinergia.

    Concordo em quase tudo.

    Apenas acho que, em certas equipes, e em determinadas situações, quando um profissional está muito acima da média, só neste caso, o outros devem dar o suporte para que o melhor resolva os problemas e leve toda a empresa pra frente.

    Usando tua analogia com um time de futebol, temos o Santos.

    Todos marcam e defendem para o Neymar jogar à vontade e fazer os gols, levando o time a ganhar tantos campeonatos nos últimos anos, e todos os jogadores lucraram com os títulos, além do time (empresa, analogicamente) Santos Futebol Clube.

    Assim foi o Santos de Pelé, o Flamengo de Zico.

    P.S.: mas estas são exceções.

    Parabéns pelo programa.

    Abraços,
    Alexandre Cabreira

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...