Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

Preste atenção para ver se você já não passou por esta experiência: você está caminhando numa rua diferente, longe da sua casa, pode ser na mesma cidade onde mora ou até mesmo fora dela. Quando chega algum conhecido e lhe solta esta: 

- “O que fazes por aqui?”, pergunta o curioso. 

Que acrescenta: 

- “Estás perdido?”.

Mas a minha surpresa não foi da sua pergunta “O que tu está fazendo aqui?”. Mas sim pelo complemento: “Estás perdido?”.

Na hora relevei a sua colocação, mas depois comecei a pensar mais profundamente sobre a colocação deste meu conhecido. Primeiro ele me estranha naquele local, depois me diz que estou perdido. Logo me vieram algumas perguntas: qual o referencial para ele me dizer que estou perdido? O que significa estar perdido? Será que para se estar “achado” é necessário se estar em locais conhecidos?


Fui caminhando lentamente como gosto de fazer. Muitas vezes sozinho, pois caminhando sozinho muitos entram em contato com a alma, com a essência. Logo percebi a importância daquelas palavras. Palavras talvez soltas sem muita ou nenhuma racionalização. Em resumo: Era uma frase feita.

Como este meu colega estava acostumado a me ver em outro ambiente, longe dali, quando me viu fora de lá achou que eu estivesse perdido. Será que ele não poderia inverter a colocação? Será que ele não poderia perceber que onde ele me via antes é que eu estava perdido? Para alguns, o antes era um lugar onde só estava indo e colando um dia atrás do outro sem viver intensamente. O agora, a transformação, é o novo que ressurge das cinzas. 

Nesta de estar perdido, lembro do pensamento de Confúcio que diz que “Não existe vento a favor para quem não sabe aonde vai”. Já Skakespeare acrescenta: “Para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve”. E Peter Russel finaliza: “Quem nunca se perdeu não sabe se está achado”.

Era isso. Como diz Raul Seixas: “Não sei onde eu estou indo, mas sei que estou no meu caminho”. 

É assim como o mundo me parece hoje. E você, o que pensa sobre estar perdido?
______________________________________________________
Artigo veiculado na Rádio Som Maior Premium no dia 26/07/2011 e publicado no Jornal A Tribuna no dia 27/07/2011
Voltar para Café com Mistura

1 Comentários para "Perdido"

  • Wagner G. Cardoso - 26/07/2011

    Muitos vivem, em função da situação do vento, se sopra pra esquerda, la se vai, agora pra direita, pronto, outra direção tomada, e assim se por diante, uma pergunta, no meu entendimento, acredito que básica, deve ser respondida: "O que eu quero?", depois dessa pergunta respondida, tome o caminho que se acredita ser o correto e siga. Assim me parece a situação de estar perdido, tem de saber o que quer, pra tomar as decisões de quais caminhos trilhar.

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...