Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

Quem é Minha Família

Deixe um comentário
Quem é Minha Família

Querido leitor, quem é sua família? 

Recentemente estive em São Paulo a trabalho e, como sempre faço, dou uma esticada no final de semana para ir a shows, teatros e musicais. Dessa vez fui com minha companheira Albany, ao musical da Família Addams. Uma boa pedida. 

Trata-se de uma montagem dirigida por estadunidenses, mas interpretada por brasileiros, estrelando Marisa Orth e Daniel Boaventura. Em tempo: o musical estreou no Brasil pouco depois da sua estreia na Brodway, nos Estados Unidos. 

O musical, como é de se deduzir, é inspirado na bizarra família criada pelo lendário cartunista Charles Addams e uma das mais bem sucedidas produções da Broadway, desde quando estreou em abril de 2010, em Nova York, onde arrecadou 85 milhões de dólares. A versão brasileira é assinada por Claudio Botelho, com direção de Jerry Zaks, que já produziu mais de 30 produções em Nova York. O Brasil é o primeiro país fora dos Estados Unidos a fazer uma montagem da peça. 

Bem, dadas as explicações contextuais, vamos à trama. Aqui, Wandinha transformou-se em uma jovem mulher e se apaixona por um jovem de uma outra família tradicional. Para os pais, Gomez e Mortícia, esse é um acontecimento que vira a casa de cabeça para baixo, quando eles são forçados a organizar um jantar para o futuro pretendente da filha e seus pais. 

Até que esse jantar aconteça, muitas conversas ocorreram entre os membros da família Adams sobre os hábitos e costumes do pretendente. A dúvida era se ele teria algo a ver com eles ou não, se haveria intercessão entre o casal apaixonado, e entre eles e suas respectivas famílias. 

Qual não foi a surpresa da família Adams quando, no jantar, o pretendente de Wandinha coloca textualmente e de viva voz que se sentia diferente da sua família. Que percebia que só havia nascido entre aquelas pessoas, mas que se sentia com outro jeito, como outra forma, enfim, que se sentia fora da família, embora, é claro, a honrasse, a respeitasse. 

Este episódio, meio que sem pretensão, nos mostra que há casos em que muitos de nós sente um certo desconforto em conviver com a família em que nasceu, mas que se sente no compromisso de permanecer ali, juntos a cada dia, a cada semana, mês e ano. Embora agindo assim, sente-se aviltado emocionalmente, pois não consegue ter uma amizade com seus membros, uma afeição. Pelo contrário: às vezes o confronto impera, a briga ocorre e o desamor acontece. Tudo porque não perceberam que vivem na mesma família, mas que nada ou pouco tem a ver no cotidiano. É mais ou menos como na história do patinho feio. Lembram? 

Talvez, se só se encontrassem nas datas oficiais de comemoração, se evitassem o confronto, já que não há intercessão, a amizade e o carinho seriam melhor preservadas, afinal de contas, não é inteligente insistir numa afeição que não ocorre. 

Lembro-me da passagem bíblica no evangelho de Marcos, onde disseram a Jesus que sua mãe e seus irmãos queriam vê-lo e Jesus pergunta: “Quem é minha mãe? Quem são meus irmãos?”. Talvez o Mestre quisesse dizer que minha mãe, que meus irmãos, que minha família são aqueles com quem tenho intercessão, com quem consigo ter diálogo, conviver, fazer coisas juntos. 

É assim como o mundo me parece hoje. E para você, quem é sua família? 
_________________________________________________
Artigo veiculado na Rádio Som Maior FM no dia 14/06/2012 e no Jornal A Tribuna no dia 15/06/2012.

Voltar para Café com Mistura

5 Comentários para "Quem é Minha Família"

  • Roberto Abadie - 18/06/2012

    Quem é nossa família? Qual é nossa sociedade? Qual é nosso pais? Todas essas perguntas estão relacionadas com o pensamento do amigo Beto. Este artigo me fiz lembrar de uma velha e lutadora amiga da Argentina, nascida na Espanha Franquista. Ela chegou na Argentina, fugindo da intolerância, do fame, da falta de oportunidades, falou um dia numa reunião de amigos uma grande verdade: Família, sociedade, país, são aqueles que abrem seus braços e seu coração para hum, e te da a oportunidade de ser mais um dessa comunidade. Abraços.

  • Simone Francisco - 14/06/2012

    Parabéns! este texto nos faz refletir muito e nos mostra o quanto temos q evoluir como seres humanos...

  • Ulcinei - 14/06/2012

    Beto, creio que em uma palavra, você resumiu o seu texto, "dialogo". em qualquer local que voce convive, sendo na famlia, no trabalho, no casamento se não houver dialogo, não há entendimento, compreensão, não há perdão.

  • Tiago Duminelli - 14/06/2012

    Inexplicavel este texto.
    Parabéns, temos que ter afeição, amizade, carinho, inspiração, afeto, paz e ser feliz com aqueles que são nossa familia.

  • Ivânia Maria Malgarize - 14/06/2012

    Beto, esse jovem está doente, o normal e não ter amizade com todos os membros da familia, mas rejeição total de afeição, isso é carochinha, ou pretencionismo.

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...