Ir direto para o Conteúdo

Beto Colombo

Artigos

Renascimento

Deixe um comentário

Pablo Neruda, poeta chileno, diz que morre lentamente quem não lê, quem não viaja, quem não houve música, quem não acha graça em si mesmo, quem destrói seu amor próprio, quem não se deixa ajudar... Se você está lendo este artigo, logo você gosta de ler. Meu singelo pedido é que você leia para alguém que não tenha o hábito da leitura, aí então você provavelmente estará ajudando o despertar e colocando em prática o dizer de Pablo Neruda. “Morre lentamente quem não lê, quem não se deixa ajudar...”

O mestre Jesus Cristo diz que “a semente tem que cair na terra, morrer para depois renascer”. Ele estava falando dele mesmo, da sua paixão, de sua morte e, acredito, do nascimento do Cristianismo.

Algumas pessoas são como mortos vivos, apenas respiram, comem e caminham, mas não sabem eles que “estão mortos”. Não sentem mais o gosto da comida, da bebida, não gostam do canto dos pássaros, não percebem a beleza das flores, não sentem o perfume da rosa, da orquídea. A lua, as estrelas, o sol, a noite, o dia, o inverno, o verão não são mais percebidos. Atravessam uma praça de flores e borboletas e não percebem, estão apressados. Apressados para quê?

No que nos transformamos? Estamos morrendo lentamente, como sapos fervidos.

Você gosta de você? Você gosta do que se transformou? Foi isso que sonhou para você? Quem escreveu o roteiro que você está vivendo? Foi sua esposa? Seu pai? Sua mãe? Seu marido? Sua professora? Seu professor? Para algumas pessoas não tem nada de errado nisso, mas se não é o seu caso, lembre-se: quebrar o roteiro não é quebrar a vida. O que precisamos matar em nós para nascer outra pessoa?

E como diz Pablo Neruda, “morre lentamente quem não se deixa ajudar”. É humanamente impossível saber, conhecer tudo, e às vezes nossa arrogância, nosso orgulho, nos impede de buscar ajuda para sair da armadilha social que caímos. Quando tenho problemas com minhas pernas ou joelhos vou ao ortopedista. Se tenho problemas cardíacos, vou num cardiologista e para doenças da alma também tem especialistas.

Lembre-se que não há planta sem a morte da semente, não há borboleta sem a morte da lagarta, o embrião sem o fim do óvulo e do esperma como unidades. A pessoa que você sonhou é esta que você conhece quando está em solitude?

Você não gostou no que se transformou? Não? E o que pretende fazer a respeito?

Lembre-se: Isso é assim para mim.

Estamos juntos
Beto Colombo
__________________________________________________________________________________
Artigo publicado no Jornal A Tribuna em 27/05/2010.

Voltar para artigos

2 Comentários para "Renascimento"

  • tao te KIng - 27/05/2010

    Sem sair da porta
    se conheçe o mundo
    sem olhar pela janela
    vê-se o caminho ao céu.
    Quanto mais longe vamos
    menos aprendemos
    Assim o sábio
    não dá um passo e chega,
    não olha e conheçe,
    não atua e cumpre

    tao te king

  • Déia - 27/05/2010

    Adoro ler, e gosto muito de ler os seus artigos porque eles são vivos. Parecidos com os meus inúmeros livros que tenho. Pensei vou responder este artigo, me fez lembrar o meu jeito de perceber quando a natureza esta falando. As borboletas sempre mostram um sinal, e logo vem a verdade. Quando caminho nem sempre vejo com os meus olhos e sim com a minha mente, tentando escutar e perceber para onde vou ou quem vou encontrar. Talvez uma sensibilidade anormal que criei dentro dos meus sentidos. Não somos iguais. Só perante a lei, rsrs.

Deixe um comentário

Anjo Tintas e Solventes

Beto Colombo ©. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento Burn web.studio
Carregando Dados...